Colunista do Justificando e fotógrafo lançam exposição sobre a vida de mulheres refugiadas no Brasil
Quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Colunista do Justificando e fotógrafo lançam exposição sobre a vida de mulheres refugiadas no Brasil

 

Foto: Victor Moriyama

 

Justificanianos e justificanianas interessados no tema de imigração, refúgio e direito internacional: um ótimo anúncio para vocês! No próximo dia 7 de março, no café da FNAC na Avenida Paulista, será lançado o Projeto Vidas Refugiadas, que tem como foco mostrar o cotidiano de oito mulheres de diferentes nacionalidades no Brasil.

A exposição é composta por 16 imagens do fotógrafo Victor Moriyama, e contará com um debate mediado pela colunista do Justificando e idealizadora do projeto Gabriela Cunha Ferraz.

Entre os debatedores, o Secretário Nacional de Justiça Beto Vasconcelos, o representante da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) no Brasil Agni Castro Pita e a nigeriana Nkechinyere Jonathan. Para completar, após o debate vai rolar aquele buffet de comidas árabes, inteirinho feito pelo Talal Culinária Síria, projeto de refugiados sírios que refazem suas vidas aqui no Brasil.

Foto: ACNUR

"Lançamos o projeto para fazer dele um espaço de expressão e participação, liderado por mulheres", diz idealizadora

Gabriela conta que o projeto nasceu de sua vontade em fazer um trabalho público com as mulheres refugiadas e com o interesse do fotógrafo Victor Moriyama.

"Um dia fui entrevistada por um fotógrafo incrível, chamado Victor Moriyama, que queria fazer uma matéria sobre mulheres. Ainda na mesa do café em que nos conhecemos, decidi que faria a proposta de desenvolvermos essa exposição. E não é que ele topou? No dia seguinte ele me ligou perguntando: 'onde devo ir?'. Hoje, um ano depois, lançamos nosso projeto para fazer dele um espaço de expressão e participação, liderado por mulheres", conta Gabriela ao Justificando.

Integrar e revelar os lados invisíveis

Hoje, aproximadamente 30% das pessoas refugiadas no país são mulheres. Se no cotidiano da mulher brasileira a invisibilidade já é uma constante, quando se fala sobre a mulher refugiada essa invisibilidade é duplicada, fazendo com que suas dificuldades sejam menos ouvidas, suas particularidades desrespeitadas e sua feminilidade ignorada. O resultado desse processo de anulação limita seu acesso a direitos, impede sua plena integração e provoca uma perigosa repetição das violações já vivenciadas em seus países de origem.

Por isso, a exposição surge como expressão desses lados invisíveis. O sentimento de perda de seus laços sociais, a nostalgia e as incertezas experimentadas por estas mulheres evidenciam o não pertencimento ao novo local. Em meio aos seus dilemas individuais, a exposição tem o intuito de auxiliar na integração das mulheres refugiadas no Brasil, possibilitando uma abertura de reconhecimento e empoderamento de seus papéis no contexto sociocultural.

Vamos? wink

O que?Lançamento da exposição fotográfica Vidas Refugiadas

Quando? Dia 07 de março de 2016

Horário? 19hs

Onde? FNAC (Avenida Paulista n° 901)

E o melhor: entrada gratuita <3

A exposição ficará aberta ao público durante todo o mês de março – mês da mulher, no café da FNAC, com entrada gratuita e funcionamento das 10h às 22h.

Quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016
Anuncie

Apoiadores
Seja um apoiador

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 175 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

[email protected]
Av Paulista, 1776, 13º andar, Cerqueira César
São Paulo/SP