Jogos de Poder #6: As habilidades escondidas por trás de todo político
Terça-feira, 3 de maio de 2016

Jogos de Poder #6: As habilidades escondidas por trás de todo político

Este programa foi transcrito para se tornar acessível às pessoas com deficiências auditivas.

Não há nada mais chato do que conversar sobre política com uma pessoa e escutar, duas frases depois, que o que devemos é “trocar todo mundo”, que “só tem corrupto”, ou então que ainda “vai nascer o cara que vai colocar isso aqui em ordem."

Esse tipo de resposta mostra duas características sobre alguém: desespero e falta de conhecimento sobre como funciona a política. Este texto é para você compartilhar com seus amigos que se encaixam nesse perfil.

Quais são as habilidades de um político?

Política é uma arte complexa, que exige conhecimento sobre as paixões humanas e as regras do jogo burocrático. Por que os políticos parecem ser sempre iguais? Quais são as habilidades escondidas por trás de TODO político?

Todo político tem um perfil, cujas habilidades dependem da área em que vai atuar. Essencialmente, são 5 habilidades, e é muito possível que o político que você mais ama ou odeia tenha todas elas. Vamos lá.

1. A primeira habilidade é de formar opiniões. Os Formadores de Opinião devem ter habilidades para pautarem assuntos, proporem novas ideias, são referências para determinados temas e podem até mesmo serem personagens que dão respaldo na criação de novas leis. Eles são uma espécie de pautadores de assuntos.

2. Em seguida, a característica em jogo é ser um bom orador. Os Debatedores possuem habilidade de lidar com as discussões de forma magistral: conseguem defender os seus pontos com firmeza, normalmente são extrovertidos e sabem trabalhar muito bem com a mídia. Estes políticos estão sempre presentes nas notícias e sabem tirar proveito da conjuntura política para afirmarem seus pontos de vista e se saírem bem com seus eleitorados.

3. Também é preciso ser técnico e genial para a criação de novas leis. Os Formuladores devem saber o que é e o que não é possível legislar. Devem saber escutar seus colegas e viabilizar textos que consigam aprovação no Congresso. O perfil destes políticos é o pragmatismo e a eficiência de transformar aquilo que é etéreo em realidade.

4. O quarto grupo é daqueles que sabem trabalhar no backstage político. Os Articuladores costumam ser respeitados ou temidos por trás das cortinas. São parlamentares com excelente trânsito nas diversas correntes de opiniões. Costumam ser lobos da política, com grande facilidade para interpretar o pensamento da maioria. Eles sabem mover as peças certas e criar as condições para o consenso. Muitos deles exercem um poder invisível entre seus colegas de bancada, sem aparecer na imprensa ou nos debates de plenários e comissões. Muitas vezes estes são os caras que você sempre ouve falar, pois estão em altos postos do poder. Contudo, evitam a exposição a todo custo.

5. Por fim, mas não menos importante, é preciso fazer a interlocução de conflitos. Os Negociadores são como mediadores do jogo político. Geralmente ocupam cargos de prestígio, sendo líderes ou vice-líderes partidários. Eles são aqueles parlamentares que possuem autoridade e legitimidade para firmar e honrar compromissos. Se eles sentam à mesa de negociação, com certeza estão respaldados para tomar decisões. Os “Negociadores” costumam ser parlamentares experientes e respeitados por seus pares. Sabem exatamente onde termina o tabuleiro e os limites de suas concessões. São habilidosos em conhecer quais são as ambições e aspirações dos seus interlocutores, para assim estabelecer a sua tática de convencimento.

O jogo começa

Extrema esquerda e extrema direita

No Legislativo, os políticos de extrema esquerda e de extrema direita costumam ser os caras que pautam o tabuleiro e determinam onde o jogo começa e termina. Dificilmente alguém vai além destes personagens. Eles tendem a ser bons Formadores de Opinião e excelentes Debatedores. Sua intenção, normalmente, não é de aprovar leis – até porque costumam ter baixíssimo índice de aprovação. No entanto, costumam ser fiscalizadores da oposição, e sempre jogam o argumento em um tom acima para conseguirem barganhar a aprovação de projetos de leis para o seu lado. Para serem efetivos, precisam, ao seu lado, de políticos com posições mais centrais.

Os formadores de opiniões e debatedores são imprescindíveis no jogo democrático, pois normalmente não possuem “papas na língua” e nem medo de se indispor com ninguém. Se concorrem a algum cargo no Executivo, por exemplo, não estão interessados em serem eleitos – desejam mesmo é pautar o debate e crescer politicamente.

Frase que simboliza os jogadores que estão nesta posição: Agite as águas para atrair os peixes.

Centro esquerda e centro direita

Nestas posições estão os idealistas que tentam ser eficientes por eles mesmos. Diferentemente daqueles das extremidades, já possuem características que possibilitam uma atuação em cargos do executivo. Os políticos de centro esquerda e centro direita podem ter as habilidades dos extremistas, mas não podem se expor demais; são mais contidos e ficam em uma posição confortável para serem excelentes articuladores, negociadores e formuladores. Os políticos com este perfil podem ser muito habilidosos no jogo político e inclusive podem galgar altos cargos sem deixar de serem idealistas. Costumam ser pragmáticos na sua visão de mundo, mas criticados muitas vezes pelo fisiologismo e por prezar pela governabilidade da sua gestão.

A frase que mais se assemelha a esta posição é: Para enfrentar longas batalhas é necessário estabelecer uma coalisão. Junte-se com outros jogadores que possuam inimigos em comum.

Centrão

Para finalizar, temos o centro. São personagens sem ideologia bem definida. Parecem inconsistentes politicamente, mas são políticos muito valorizados na hora de compor os votos. Eles costumam jogar no lugar em que o poder está e muitas vezes controlam as cartas do jogo, pois são exímios articuladores e negociadores. Eles podem ser bons também em formular projetos de leis fazendo a leitura de ambos os lados. São mestres em articularem por trás das cortinas e normalmente ocupam diversos cargos no poder executivo. São essenciais para os partidos com posicionamentos definidos para compor maioria no congresso e viabilizar ações do executivo. Em regra geral, quanto maior a divisão do jogo político, maior poder esses caras têm.

A frase que simboliza os centristas é: Pense o que quiser, mas se comporte como os outros. E faça os outros jogarem com as cartas que você oferece.

No Jogos de hoje você entendeu um pouco mais sobre como funciona a mente de um político e como ele se comporta no tabuleiro. Se você gostou do episódio de hoje, não esqueça de compartilhar com os seus amigos. Eu sou o André Zanardo e me chamam de filho bastardo do príncipe. Nos vemos no próximo Jogos de Poder.

André Zanardo é diretor executivo do Justificando, jornalista, advogado e filho bastardo do Príncipe.
Terça-feira, 3 de maio de 2016
COMPARTILHE

Tweet
Share
Google

APOIO

Apoiadores
Seja um apoiador

ANUNCIE

Aproximadamente 1.5 milhões de visualizações mensais e mais de 145 mil curtidas no Facebook.

CONTATO

[email protected]
Av Paulista, 1776, 13º andar, Cerqueira César
São Paulo/SP